Translate

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Os cuidados que as grávidas tem que tomar com seu bichinho de estimação!



È importante ter uma certa cautela com os animais de estimação durante a gravidez, já que alguns deles podem transmitir doenças que às vezes acabam afetando o feto em desenvolvimento. 

toxoplasmose, por exemplo, é uma infecção causada por um parasita que vive em fezes de gatos e outros animais e pode causar problemas de visão ou em outros órgãos do bebê. Por isso, para evitar sustos, o ideal é que outra pessoa da casa limpe a caixinha de areia do seu gato enquanto você estiver grávida. 

Procure também não mexer em gatos de outras pessoas. 

Salmonela e E. coli são outras doenças que gestantes podem pegar pelo contato com animais domésticos como cães, gatos, tartarugas e aves. A salmonela é um tipo de bactéria que provoca infecções alimentares, muitas vezes seriíssimas. É raro que faça mal diretamente ao bebê, mas seus sintomas -- febre alta, vômitos, diarreia e desidratação -- podem acabar levando a um parto prematuro ou até um aborto espontâneo

Antes que você saia correndo para doar seu amado bichinho, vale lembrar, contudo, que animais vacinados e bem tratados raramente representam risco à família. Fique de olho também na higiene de um modo geral. 

"Cachorros podem pisar em cocô de gato na rua e levar para casa, o que acaba virando um foco de infecção", alerta a obstetra Daniela Maeyama, do Hospital e Maternidade São Luiz, em São Paulo. Podem também cheirar as fezes de gatos na rua e levar no focinho, para casa, os micro-organismos que causam doenças. 

Assim sendo, procure manter sua casa sempre bem limpa e arejada. 

Quem tem cachorros pulões (e grandes), ou que "puxam" nos passeios, deve se precaver ainda de um impacto maior na barriga ou até de ser derrubada, já que gestantes naturalmente ficam com falta de equilíbrio